• Alexandre Felske

Potencializando a inteligência I



Vou te convidar a fazer algumas reflexões a respeito deste órgão magnífico que é nosso cérebro. Vamos apenas resvalar em toda tecnologia que é inerente ao cérebro, mas que, se entendido, poderá fazer uma grande diferença nos resultados.


Quero lembrar que viemos a este mundo, neste corpo, mas sem um manual de funcionamento, entretanto viemos dotados de todas as ferramentas para irmos nos descobrindo, otimizando e evoluindo.


Meu pai me disse por diversas vezes, na minha vida, que podemos aprender observando a experiência dos outros ou tendo nossas próprias experiências. Vou propor aqui as duas possibilidades, apresentando de maneira muito resumida pesquisas feitas por médicos e cientistas de grande seriedade e honestidade que estudei ao longo da minha vida, mas também pela minha própria pesquisa, utilizando meu corpo, minha consciência e minhas experiências pessoais e profissionais.


Alguns estudiosos da neurociência afirmam que temos não um, mas três cérebros: o cérebro reptiliano, cérebro límbico e neo córtex.


O cérebro reptiliano é mais primitivo, semelhante ao dos répteis, ele tem a função de cuidar da vida, coordenar todo o metabolismo corporal, cuida do batimento cardíaco, circulação de sangue, etc.


O cérebro límbico cuida dos sentimentos, das emoções.


O neo córtex cuida da parte cognitiva, do conhecimento, da memória, guardar e acessar as informações. Na frente do neo córtex, existe o lobo frontal que tem a ver com sentido de vida, projeção de futuro, o porquê das coisas, etc.


É evidente que a interação e a comunicação destes cérebros ocorrendo de maneira ótima, colabora para uma maior saúde física, emocional e potencializa a inteligência e capacidade do ser.


O cérebro reptiliano tem basicamente duas funções: reprodução e sobrevivência. Para garantir a sobrevivência, ele é movido por algumas ações bem definidas, como : comer, fugir ou lutar em caso de perigo. Outra ação muito importante e que tem mais relação com a potencialização cerebral, é o fato de que para garantir a sobrevivência, o cérebro reptiliano otimiza o metabolismo, pois ele está subordinado a algumas leis biológicas.


Uma dessas leis é a da economia biológica, ou seja, só se gasta energia nas tarefas que são essenciais para a vida. Os órgãos que estão subutilizados recebem menos recursos energéticos e bioquímicos, visando a preservação da vida e os que estão hiper utilizados precisam receber mais recursos.


Esta informação é muito preciosa para quem deseja potencializar a inteligência e obter mais resultados de um cérebro mais pleno.


O ato de exercitar o cérebro com leituras, reflexões, debates, raciocínio lógico, meditação, convivências, vivências e artes envia uma mensagem ao cérebro reptiliano de que as outras partes deste órgão necessitam de mais recursos.


Aprendemos durante nossa vida que ao envelhecermos, nosso cérebro fica fraco e debilitado, mas os estudos estão mostrando que isso não é verdade. Para evitar isso, precisamos exercitar e nutrir o cérebro. Isto o fortalecerá e retardamos a velhice evitando a debilidade e senilidade. Podemos chegar ao final da vida com muita lucidez e um pleno funcionamento cerebral.


Façam suas próprias pesquisas e experiências. Lembre-se que a mente é um sistema aberto. Os resultados virão para quem praticar. O tamanho do seu resultado é diretamente proporcional ao tamanho da sua dedicação.


Um cérebro em pleno funcionamento proporciona qualidade de vida, felicidade, saúde emocional e física.


Continua..


Alexandre Felske

Equipe Hélio Couto

Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Siga

Blog:

Facebook:

©2017 por P@t Estúdio - Marketing Digital. Hélio Couto - Todos os direitos reservados.

Pat logo5.png